Vídeo com mais de 4 milhões e 300 mil visualizações no Youtube, trouxe uma divertida e inusitada narração de experimento de corrida de carro. Como um projeto piloto de carro de corrida infantil com produção caseira! O narrador ganhou vários fãs no Brasil e se tornou destaque na mídia pela maneira engajada e atípica de narrar uma descida de carro!

tacalepau

Taca-le pau, Marcos! Taca-le pau! É a interjeição usada pelo menino que narra em poucas palavras o que acaba de acontecer! A interjeição ganhou o mundo e virou meme!

Lindooooo! Uma explosão de fofura! Vejam esse vídeo com milhares de visualizações no Youtube! Um bebê que tinha problema congênito no ouvido e, por conta disso, não podia escutar, conseguiu o feito de ouvir pela primeira vez com poucos meses de vida!

O sucesso foi através do conhecido aparelho auditivo adaptado para o pequeno. E, claro, que os pais resolveram registrar o emocionante momento tão esperado por todos. O resultado é um vídeo de fazer chorar e vomitar arco-íris gigantescos!

Essa semana recebi no Facebook esse vídeo que achei interessante compartilhar, por N motivos! Um deles é o rincipal mote dele: divulgar com linguagem simples e acessível o que é a depressão, essa doença tão antiga e tão atual que atinge 350 milhões de pessoas de todas as idades, gêneros, classes em todo o mundo! O vídeo

black-dog3

A depressão atinge cerca de 350 milhões de pessoas em todo o mundo e não tem preconceito: homens, mulheres, crianças, velhos, jovens, ricos e pobres, todos podem ser afetados por ela. Bom, o vídeo é do ilustrador Matthew Johnstone que fez esse vídeo para a Organização Mundial da Saúde afim de informar mais pessoas e quem sabe ajudar milhares a saírem desta condição!

Realmente bastante instrutivo para quem não dá bola para esse problema sério, o único problema é associação da depressão com o cão preto! Tudo bem que essa ideia é velha, utilizada desde o século XVI, mostrando como a depressão, no caso, o cão negro, prejudica a vida da pessoa. Mas por que um cachorro e porque preto!?? Não poderia ser algo mais abstrato que também fizesse parte do nosso cotidiano?